Notícias
Creches: sugerido por Panelli em 2013, método de gestão compartilhada foi implantado, a partir de reinauguração do prédio da EMEMI “Maria Gazzolla Dártora”, no jardim Marcelino

Para reduzir mais rapidamente a fila por uma vaga em creche, a gestão Gersinho Romero iniciou um método que poderá revolucionar de vez o sistema de acolhimento de crianças em idade de creche, que passam a ser atendidas em parceria com uma Organização Não Governamental. O start ocorreu segunda-feira, 14, na reinauguração da EMEMI “Maria Gazzolla Dártora”, no jardim Marcelino. A gestão estará a cargo da Associação Recanto dos Pinheirinhos, presidida por Monique Dias. A escola atenderá cerca de 200 crianças no entorno dos bairros jardins Marcelino, Eucaliptos, Vitória, Vera Tereza e vila dos Pinheiros.
O método decorre de Lei Municipal enviada à Câmara e aprovada pelos vereadores, após sugestão do presidente da Casa, o Dr. Panelli, que há cinco anos, ou seja, em 2013, remeteu Indicação (301/2013) à Prefeitura, pedindo que fosse criado um programa que denominou como “Educação Infantil Para Todos”. Passados cinco anos, o atual presidente contemplou o sonho se tornando realidade.
“São cerca de 200 crianças atendidas que estavam na fila por vagas em creches. Esse pesadelo acabou e espero que outras parcerias semelhantes ou parecidas se estabeleçam. Os pais poucos se importam se as vagas surjam de maneira direta, indireta ou conveniada. Precisam que suas crianças sejam acomodadas com dignidade para tocar a vida, trabalhar. O diferencial em Caieiras é que o sistema já começa sob os olhares vigilantes da secretaria de Educação que preza pela qualidade. Isso faz toda a diferença", comemora.
Contando que copiou do município de São Paulo o método que adequou aos pedidos que fez ao prefeito local, Dr. Panelli se disse “sensibilizado em assistir pais de crianças implorando por vagas junto à educação infantil, ainda que o Poder Público tente corresponder à demanda, não tem ‘pernas, tentáculos’ para acompanhar o ritmo frenético de natalidade que Caieiras apresenta – em média, 80 crianças/mês. É uma concorrência infinita”, completou.
Entregue a primeira unidade que passa a operar nessa modalidade, Dr. Panelli salienta estar á espera de outros compartilhamentos com associações que se disponham a tocar esse tipo de parceria. “Cumpriremos o mandamento constitucional e minimizaremos a situação que já foi caótica, beirou barras judiciais e castrou direitos que são prerrogativas da população.
Educador, Dr. Panelli lembrou que enquanto a gestão da EMEMI “Maria Gazzolla Dártora” caberá à uma Organização da Sociedade Civil, a secretaria municipal de Educação, liderada por Shirley da Silva, continuará indicando as diretrizes para a elaboração dos planos de trabalho, observando a Lei de Diretrizes e Bases. “Em termos de qualidade de ensino, não muda nada”, ressalva.
Futuros convênios semelhantes serão entendidos como espaços coletivos privilegiados de vivência da infância, que visam contribuir na construção da identidade social e cultural das crianças, fortalecendo o trabalho integrado do cuidar e do educar, numa ação complementar à da família e da comunidade, objetivando proporcionar condições adequadas para promover educação, proteção, segurança, alimentação, cultura, saúde e lazer, com vistas à inserção, prevenção, promoção e proteção à infância.